sábado, 7 de dezembro de 2013

Enfim, maioridade!!

Quem diria que, um dia, aquele pequeno grupo de animação musical chegaria a celebrar 21 anos de cantoria...
Completamos maioridade...
Mas afinal, maioridade em que?
Olho para o começo de tudo e vejo que vivenciamos juntos muitas e muitas coisas. Das mais leves, engraçadas e amorosas até as mais sérias e difíceis...
Em plena maioridade, vejo agora, mais do que nunca, que estar no grupo sempre foi, ano após ano, uma escolha consciente de cada um... Os que permaneceram escolheram se fazer UM com o outro, escolheram superar os desafios dos relacionamentos, procurando um entendimento fraterno quando por ventura o outro extrapolou limites... Ficaram os que souberam ceder, perdoar, buscar em si entusiasmo para oferecer quando outros estavam desanimados... Enfim, estar no grupo foi uma escolha em vivenciar o amor pelo próximo, sendo fácil ou difícil, entregando um pouco ou o muito de si, para que o finíssimo fio de ouro que tricota nossas vidas permanecesse intacto e resistente em todos os momentos.
Assim foi até os últimos momentos com os nossos queridos que partiram para o Pai. E minha fé e meu coração me dizem que eles eternizam no céu o que escolheram nesta vida... Ainda cantam conosco, certamente...
Para mim, pessoalmente, o ano de 2013 foi o mais difícil de todos os outros, desde 1992... Dentro do grupo, foi um tempo de duras separações, imensas saudades e de penosos aprendizados...
Mas – e ainda bem, neste caso, tudo tem um mas – em  família foi um ano de linda e delicada alegria, com a chegada de nosso neto... Deus é mesmo muito, muito delicado com cada um de nós e reinventa a vida a cada segundo, sem desamparar ninguém... É preciso ter olhos de ver...
Penso que essa é a maior lição deste ano para mim. Aprender e reaprender onde colocar os olhos, prestar atenção no que, realmente, vale a pena nesta vida. Tentar sempre, lutar por conseguir e perseverar para permanecer no amor...
Mesmo que, às vezes, possam parecer intrigantes ou desconcertantes as escolhas que tenho feito no meu viver - em grupo e em família - podem estar certos, tenho seguido e perseguido ser amor.  Mas não há mais tempo a perder com o que não é realmente importante, com vaidades pessoais, com destemperos imaturos, com pretensas verdades que se pretenda impor, com joguinhos e subterfúgios... A maioridade me ensinou que não há nada mais importante que a união, a caridade, a amorosidade, a presença - mesmo que seja de certa distância... - quem se sabe amado sabe também com quem pode contar.
Festejando nossos 21 anos, só posso desejar em meu coração que nada nem ninguém possa atrapalhar o que um dia Deus pensou para realizarmos juntos. Que nossas escolhas sejam feitas dentro da vontade do Pai e não na nossa. Que nossos olhos e corações repousem no que é de Deus e a Ele cantemos, enquanto pudermos, toda glória.

Para curtirmos com calma, segue o vídeo que assistimos em nosso jantar.


2 comentários:

  1. Gostaria de parabenizá-los, a todos, por colocar no lugar das notas o coração.
    Música também é feita desses gestos de amor, dessa delicadeza.
    Sorte de quem é tocado por vocês...
    E, como diz a bela Marly, ver cada um cantar, a seu modo, com sua alma e seu esforço, é um privilégio... eles não veem, estão ali, envolvidos, dando o melhor de si... mas eu vi !!!
    Eu também vi !!!
    Que benção mais linda...
    Obrigada !!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. O coral São Judas atingiu a maioridade. Vinte e um anos de união, persistência, sucesso e dedicação total ao Evangelho. Coisa para poucos grupos. Estive na USC para assistí-los e vocês, cantando, talvez não percebam a beleza do empenho e entrega de cada um para que tudo dê muito certo. É bonito de se ver! Desejo a esse coral uma trajetória brilhante, muitas datas comemorativas, eventos e missas de montão, e que vocês nunca parem de cantar e encantar. Abraços e beijos a todos!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...