quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Cantata de Natal - Paróquia Santo Antonio


No dia 16 de Dezembro, na Paróquia Santo Antonio da nossa cidade, haverá a Cantata de Natal.
Vamos participar também?
Nós estaremos lá!



quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Acordei sorrindo

Depois de dias de silêncio - todos estávamos mais quietinhos, sabemos bem os porquês - acordei sorrindo das coisas mais simples dessa vida. Bem, não foi exatamente assim, que eu acordei faz muito tempo. Mas resolvi ouvir um pouco das gravações que fiz ontem no ensaio com meu celular. Acho a maior graça como vocês fazem bagunça. 'Tá, tá bom'... eu ajudo também! kkk
Não sei ainda o que dá pra aproveitar, mas dá pra curtir, ouvir aguma música talvez e brincar um pouquinho e, para começar, resolvi postar duas fotinhos... aiai, se contar ninguém acredita!
Uma é só pra provar que a 'chefa' também toca, beeem de vez em quando.
 
 
A outra, é pra mostrar ela nanando o neném pra ver se a gente cantava mais baixinho... hahahaha. A foto não ficou boa, mas é a única prova que tenho! ehehehe
Digam pra mim se é normal uma pessoa - do nada - sair correndo pra pegar um rádio no colo, dizendo que é um bebê e fazendo todas as feições possíveis de cuidado com ele... mandando a gente abaixar o volume... kkkk.
Não! Eu mesma respondo, não é normal! É feliz! Nós nos divertimos em meio a tudo isso e a música vai saindo aos pouquinhos. Sejam abençoadas as pequenas alegrias, Senhor!
 
 
Estar pertinho, jogar conversa fora, saborear simplicidades... que riqueza existe em nosso meio!
Um beijo de bom feriado pra todo mundo e que os nossos melhores sentimentos continuem animando a todos que precisam de muita alegria e um pouquinho de carinho. Aqui nesse grupo lindo tem!

Em breve mais bagunça no ar. Risos!

domingo, 11 de novembro de 2012

Mais um poema da nossa jovenzinha

E segue mais um poema da nossa querida Ivone, que acaba de completar 85 primaveras. Sensibilidade e vitalidade acima de qualquer coisa. Bonito de se ver!


A árvore

Em pé na estrada, triste e ressequida

Os braços hirtos como a procurar

As folhas todas, as flores coloridas

Que as mãos do vento vieram lhe roubar

Ah! Sua sombra era majestosa

Ah, que sombra linda e frondosa

Onde se abrigava o viajor

Do sol, das intempéries

Seu tronco jamais se vergou

Nunca um só galho se quebrou

E guardou com amor seus galhos, seus frutos e flores

Lembranças de seus amores

E tudo mais que sempre amou

Medo não teve da noite

Nem dos milhares  de açoites

Que a tempestade enviava

Mas, quando vinha a bonança

O céu azul se iluminava


Tal qual rainha reinava na festança ruidosa

Que a natureza lhe dava.

Hoje triste e ressequida olhando a estrada da vida

Não tem mais frutos nem flores

E de tantos, tantos mil amores

Nem uma flor lhe restou.



Ivone F. Souza

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Folhas secas - Ivone F. Souza



As vezes eu me surpreendo

Olhando a minha rua,

Fria, deserta, solitário

Sob a luz da lua.

O vento revira as folhas

Caídas, secas e mortas,

Se acumulando, tal qual lixo

Em frente as nossas portas.

Tudo que era verde, belo,

Suculento, hoje apenas

Folhas secas levadas pelo vento.

Eu até penso e este é o meu maior tormento

Cadê o vigor? Cadê o Verde?

Cadê o amor? Onde está aquela copa linda?

Se foram todos, até os passarinhos

E eu? Eu fiquei sozinha.

Com a saudade do que foi embora.

Tudo me faz chorar e relembrar agora.

Então aí eu fico ó um instantezinho.

Que mais posso fazer?

O luar chora prateado sobre mim,

Mas sei bem, bem sei, não é o fim

A ruazinha voltará um dia

Mais bela, em nova aquarela, voltará.

Mais verde, mais perfumada, reinará e a vida

Esplendorosamente continuará.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...