segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Amiga

Fui vê-la após a vida..
e não é que não era ela?
E no espanto desta descoberta,
A certeza da verdade,
antes só dita, e finalmente sentida:
Era só pó!

Ela, a nossa Verinha, estava mesmo era por alí,
implicando com a gente, fazendo “espirra gato”,
tagarelando, futricando dos que pediam silêncio.

Ela estava por alí,
Como antes.
Chorando a verdade da dor,
Mas reafirmando sua fé
e sua vontade de viver.
E quando se tornou inevitável,
se fez bonita.
Colocou lenços e fitas,
beijou os amigos,
Sorriu e cantarolou
enquanto e quanto podia.

Aceitou complacentemente nosso mimo.
E por, isso a pudemos mimar.
Dia após dia.
E ela era que era só amor.

Me disseram que foi assim que se foi.
Cantarolando.
Eu ainda olho no horizonte, esperando vê-la voltando...
Certamente há de estar chegando...

                                             Sueli

sábado, 27 de outubro de 2012

Verinha - Só Luz do Senhor!


Tão difícil falar sobre a partida de alguém que agorinha mesmo lhe sorria, demonstrando uma vontade toda imensa de viver...
Mas a vida, essa experiência sem repetições que nos pertence finitamente, se solta rumo a um destino desconhecido para nós, desconhecido e que nos deixa tantas saudades...
Abaixo seguem-se os depoimentos que recebi em honra a essa pessoa querida que já goza da plenitude de Deus.


Vida!

     Já sentimos saudades suas, querida Verinha. Sei que posso falar em nome do grupo.
     Saudades do jeitinho, do modo charmoso de se vestir, dos olhares individuais com os quais ela nos cumprimentava um a um... Falar do modo de vestir nessa hora poderia soar como algo tão incoerente, mas tem sua razão - nunca vi alguém doente como ela estava, cuidar-se para a vida com tanto zelo. com tamanha dedicação!
     Foi assim o tempo inteirinho... combinação de cores, echarpes, detalhes, que vontade de viver!
    Quantas coisas nós nos dissemos, aflitos pelo que se pressentia e realmente acontecia, sem conseguirmos dimensionar qual era a urgência, qual o momento, o quê e como fazer, porque ela, conversando, respirando mais fundo pra se manter, comendo melhor do que nós mesmos, parecia estar comungada com a Vida, e nada mais. Ela mesma que acompanhou a partida do esposo, com a mesma doença, parecia alheia aos dados reais e conectada a uma possibilidade maior de continuar...
     Vimos os sinais da finitude porque eles eram inegáveis, mas foram tão sutis e pequenos diante da energia de vida que ela queria conter. Agarrar-se a qualquer esperança não nos revolta com a morte, mas nos indica pra onde olhar também... a Vida continua!
     Fez com que nos reuníssemos em volta do Cristo, ensinou-nos lições de humildade e simplicidade, revelou pessoas lindíssimas que temos dentro do grupo, silenciosas e profundamente amorosas de forma concreta, palpável. Amor-aconchego, amor-alimento, amor-transporte, amor-amor...
     Ontem, reunidos na igreja para a preparação dos pastéis, alguém me disse que perdemos a oportunidade de fotografá-la, de registrá-la na última missa, em que ela estava, se não me engano, com uma peça de roupa portuguesa, linda-linda. Eu estava emocionada e não consegui responder... mas eu a havia fotografado em mim, meu olhar não teve como não vê-la, singela e presente, não parecia morrer. Isso foi há bem poucos dias.
     Da última vez que pude estar mais perto dela, graças ao carinho indizível da Regina e da Marly  (quanto sentimento...), ela me mostrou o apartamento e me contou como o milagre de ter aquele lugar aconteceu... hoje eu só consigo pensar que tudo é cuidado de Deus... tudo é ternura derramada que a gente nem sempre vê, mas ela via. Vivia.
     Penso também que nossas muitas angústias sobre todas as coisas terminam em Deus.
     Por hora vivemos a despedida, mas então o alívio por saber que agora ela está no Paraíso, no descanso, no Consolo Infinito, na vida eterna, no Amor que tudo ama... Deus Pai!
     Agradecemos a Deus por sua vida, querida, e pedimos a Ele que esse seu ensinamento realíssimo seja para nós caminho para o Caminho! Que Ele abençoe cada membro da sua família, seus filhos, seus amores, seus amigos.
     Que aprendamos com você a saborear cada dia com essa imensa vontade de Viver!
 
Claudia
 
 Saudades!
    O dia amanheceu muito triste com a notícia da partida da Verinha.  Embora esperada, não menos triste.  Lembro-me da última missa no bosque.  Estacionei, caminhei em direção à entrada e alguns metros acima lá vinha ela, pequenina, toda arrumadinha, o sorriso de sempre!  Surpresa ao vê-la ali, de pé, apesar do agravamento da doença, dsejando estar conosco.  Caminhamos abraçadas até a locomotiva.  Ela falava sobre as sequelas do tratamento que vinha sofrendo, sempre naquele tom de aceitação, sem qualquer revolta. 
    Verinha, sei que você compreende por eu não ter estado mais com você nesses últimos tempos.  Você agora sabe de todas as razões.  Mas saiba que carreguei você no pensamento e no coração durante toda a sua trajetória de luta pela vida.  Coragem e paciência para tudo enfrentar sempre com semblante sereno que todos nós do coral pudemos acompanhar e admirar.  Exemplo de alma linda e pura, modelo a ser seguido em todos os momentos, particularmente nas tribulações da vida. 
    Bom saber que você está aliviada de tanto sofrimento.  Siga em paz nos caminhos de luz que a esperam rumo à eternidade.
    Com amor, deixo prá você esta bela frase de Saint Éxupery: 
 "Aqueles que passam por nós não vão sós;  não nos deixam sós.  Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós!"
 
Luci
 
 
Você (Verinha), no meu mundo
 
    Conheci pouco a Verinha, mas tive a graça de estar junto dela neste finalzinho de tanta dor.
    Com o seu retorno ao Pai, um misto de sentimentos toma conta de mim: tristeza com a separação e alegria de salvação.
    Corri entao, pegar o Folhetão do nosso coral.  Encontrei este canto, que me trouxe mais perto dela e eu digo porque:
    "Como a flor que se abriu, pra trazer primavera"...
     É mesmo, estamos em plena primavera.
    "Confirmando do inverno o seu sono profundo"...
     Pra mim, um inverno de 7 anos, da partida do meu pai, em condições semelhantes às suas...
    "Superar os limintes do tempo de espera"...
    Quão grande e difícil esse caminho! Não tenho dúvidas que somos pedras preciosas, diamantes que Deus lapida até atingirmos o quilate que só a Ele interessa. Aí seremos guardados no Santo Cofre, de segurança máxima.
    Por isso, Verinha, eu posso dizer que como a flor que se abriu, foi você no meu mundo.
    Obrigada por ter me permitido entrar no seu silêncio.
 
    "Agora é silêncio na Terra e no Céu...
      Silêcio que prega...
      Só luz do Senhor!"
 
                                                Com carinho
Regina C. Turtelli



 
 
 
 

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Doce Marina...

 
Viver, como sempre, é dimensionar os acontecimentos a nossa volta e escolher as ações que devemos e/ou queremos tomar diante delas.
Quase sempre estamos na igreja, buscando acertar o canto, a letra, o tom, e entre tantos detalhes que importam, algumas vezes na angústia, olhar pra esse sorriso é algo absolutamente especial.
Se não bastasse o sorriso, há um carisma... ahhh, que carisma!
Ela junta os dedinhos das mãos e nos diz que as coisas são "muito chics", derretendo-se de tanto charme! E, para nosso total encantamento, sabe todas as músicas que cantamos, adora de paixão o pandeiro e imita a doce regente quando está em casa. No ritmo certo bate palmas e acompanha - quase sustentando - toda nossa alegria! Quase? Vontade de beijar e apertar, vontade de chorar de tanta alegria!
Olhar pra ela é de aliviar a alma, de saber-se certo, no lugar e hora certos. Perfeição! Uma outra perfeição. Aquela que almejamos a vida todinha, ali, disponível, pertinho das nossas mãos. Da gente.
Deus nos fala de tantas maneiras e essa certamente é uma das mais doces... Marina! Ah, Marina, você nem imagina o quanto a gente ama você apaixonadamente!... só temos a agradecer!
Ontem ouvi seu avô contando que você pede mil vezes que ele coloque o cd do coral pra você cantar... mais responsável que todos nós juntos, você nasceu assim, especialmente pra nos iluminar! Sorria sempre, Marina, cante sempre conosco, querida! Alegria mais linda não há!...
 

domingo, 14 de outubro de 2012

Aniversário da Yara

Alegria-amizade-poesia músicas-sorrisos esperanças-comunhão histórias-luz-amor-Deus sonhos-realidade
Foi assim que a gente celebrou mais um dia, na grata companhia da Yara e família!


Foi uma delícia!
Obrigada, queridos!



 
 
 



sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Como uma criança



47- Como uma criança

Como uma criança, Cristo ensinou que eu devo ser
se quero ir ao céu
ter a mente limpa e um puro coração
como uma criança eu quero ser.

Como uma criança,
assim eu quero ser,
com Cristo em meu viver irei renascer  

Sempre que na Bíblia este verso eu lia
não podia ainda tudo entender...
Quando uma criança Cristo em mim fez nascer
pude compreender o que Deus quer de mim:

sinceridade,
amor,
perdão
e paz
só uma criança pode ter.





sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Regina

Penso que o encontro verdadeiro, tu a tu,  talvez seja o maior e mais belo presente que o Criador nos doou para que, nos abrindo à graça concedida, pudéssemos vivenciar em plenitude uma pontinha do Amor que nos entrega e reserva.
Quando vejo que isso acontece, sempre me volta à lembrança uma imagem utilizada pelo meu querido Pe. Jesus: "o Sol a tudo ilumina, mas se olharmos diretamente para ele, nos cega".
Imenso Amor de Deus, do qual desfrutamos em pequenos vislumbres, feito raio de Sol, quando de verdade nos encontramos com a alma do outro.
Luci, querida, que bom você ter escrito. Que bom todos nós termos encontrado essa doçura de pessoa, que o nome já diz "Rainha"!


Falar da Regina é tarefa muito fácil: pessoa linda, amável, amiga, sempre pronta a dizer palavra que edifica, que consola, que dá ânimo, que restaura forças. Com seu sorriso iluminado, tem me dedicado incontáveis demonstrações de amizade.
Sinto nela a pureza de intenções, o desejo de me ver melhor.
Na correria da vida, encontrou tempo para mandar bordar toalhinhas com o nome da minha netinha. Lindo, lindo!
Obrigada, Regina, por se colocar ao meu lado em momentos tão marcantes, alegres e tristes.
Felizes os que têm o privilégio de tê-la sempre por perto, como nós do coral.
A você minha gratidão, meu carinho e amizade.
                                                         Beijos.
             Luci

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

01 de Outubro - Dia Internacional da Música

 
 
Dia 01 de Outubro foi o dia Internacional da Música.
A falta de tempo não pode impedir o agradecimento pelo que essa arte faz em nós!
Pelo quanto ela nos eleva ao céu, ao que permanece!
Capaz de mudar o estado de humor, de reconduzir o espírito aos sentimentos mais sublimes, ela invade o silêncio para nos falar numa linguagem que entendemos muito bem... sem esforço algum, com simplicidade e beleza, basta sintonizar... e, se isso acontece em grupo... não há agradecimento que baste, mas mesmo assim, gracias amigos queridos! Gracias, Marly, por perseverar e resistir!
 
Claudia
 
 
 
Obs: Sra. Ivone, querida! Logo postamos seus poemas aqui! Beijinhos.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Missa Bosque da Comunidade

E lá fomos nós mais uma vez comungar da beleza da Missa no Bosque da Comunidade.
Sorrisos, amanhecer! Belezura de criança dormindo. Primavera. Lindas palavras recitadas pelos Trovadores, música ao vivo e essa gente tão querida, sempre reunida! Queridíssimos!


        
 










Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...