segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Feliz Natal


Queridos amigos e irmãos

Tantas coisas dividimos este ano!
Chegadas, partidas, retornos, ausências, despedidas definitivas...
Um mundo!!
Cada acontecimento fazendo com que nos movêssemos de alguma forma, na direção de Deus...

Neste final de ano, do fundo do coração, desejo a todos um verdadeiro ENCONTRO com o Deus Menino, com o Amor pleno que se fez Homem e veio fazer morada em nosso meio.

Peço a Ele que possa abrir nossos olhos e ouvidos; que nos dê sabedoria e entendimento para olhar cada pedacinho de nossas vidas e perceber que sempre tivemos Companhia, que nada foi em vão; que se o mundo nos tomou um pedacinho do que era nosso, Ele devolveu em dobro Amor e Graça, o que só Dele podemos receber.
Peço, especialmente, que neste Natal o melhor presente seja a Graça de poder ter uma maior confiança e entrega amorosa ao Pai. Que no cotidiano de nossas vidas se concretizem em atitudes as nossas boas intenções e que possamos derramar na vida do outro o Amor que nos chega do alto.

Fundamentalmente, a lição da manjedoura nos ensina que a vontade de Deus é que cada um de nós seja para o outro um Lugar de encontro, de amorosidade, de acolhimento.
Possamos, por pura Graça, Ser Lugar: simples, humilde e pleno daquele aconchego, onde quem se achega possa simplesmente SER conosco. Certamente, nesse lugar, o Menino também estará!

Um beijo a cada um e a minha mais profunda gratidão por tudo quanto temos dividido e vivido.

Marly

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Qual a dúvida?

Quarta-feira é dia de ensaio, gentemmmm!
Qual a dúvida?
Só por que eu não disse que haveria ensaio?
Ora, se toda quarta é dia de ensaio, por que dizer?
Depois, eu estava muito enlevada com a apresentação de domingo para lembrar de falar que tinha ..., certo?
Foi muuuuuuuuuuuuito lindooooooooo!

Saiu tudo tão sincronizado e tão direitinho...
Eu não estava em um momento pessoal muito adequado, pois fiquei extremamente ansiosa e preocupada, com minha mãe indo ao hospital enquanto a gente se dirigia para a Cantata...
E, de verdade, estava preparada para nem ficar vermelha se algo desse errado...

A ajuda do Xico foi imprescindível para que tudo corresse bem com o playback... Se ele não tivesse levado o laptop, não sei o que teria sido, pois o que havia sido disponibilizado pela comissão organizadora não funcionou conseguiu reproduzir o arquivo que levei...

Luci, acredita que pude sentir na alma a sua presença entre nós? Ficou tão lindo o acompanhamento que você gravou e tão explícita a sua sensibilidade, que foi como se realmente você estivesse ali conosco...

E vocês, meus lindos cantantes, estiveram maravilhosos!
Olhinhos grudados em mim (que fechei os meus a maior parte do tempo, é verdade...) e - um só coração e uma só boca - cantamos de um jeito lindo "Deitado em manjedoura" e - apoteose total! - veio "Noite Santa" para fechar com chave de ouro o que ensaiamos tantas vezes...

Eu estava preparada para tudo mesmo, menos para aquela igreja lotada aplaudir de pé a nossa música!
Tudo bem que fizeram o mesmo com os outros grupos... Mas, o impacto foi enorme, por sermos os primeiros...
Que pessoas lindas, né?
Quanto acolhimento e alegria!
Nossa, de encher a alma!

Foi uma noite e tanto!
Lindas apresentações, delicadas canções, gente animada e uma grande fraternidade entre os grupos.
Foi muito bom!

Muito a agradecer a Deus por aqueles momentos, pela nossa união, pelo amor explícito daqueles que dividiram comigo a ansiedade em aguardar notícias do hospital - que felizmente foi só um susto meu e um pouco de manha de mamis...

Que nosso encontro de hoje ainda esteja sob este enlevo e que uma vez mais vivenciemos essa grande amorosidade que nos une em Deus.

Beijokas e até já já...

sábado, 15 de dezembro de 2012

6º Aniversário de Ordenação do Padre Giuliano

Num clima bastante amistoso e agradecido, comemoramos junto à paróquia o aniversário de Ordenação do Pe. Giuliano. As características mais ressaltadas foram a amizade e a simplicidade, o empenho em estar ao lado das equipes das mais diversas pastorais. Lindo mesmo foi ouví-lo cantar uma música que disponibilizamos aqui. Seguem também algumas fotos para compartilhar a beleza desse momento!
Nossa visão é quase sempre lateral, porque ali ficamos em formação para cantar. É, na verdade, o lugar que sempre estamos, lado a lado e é o jeito que mais amamos estar! Concordam?
 
Parabéns mais uma vez, querido Pe. Giuliano! Deus o ilumine e acompanhe em todos os seus passos!



quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Karaokê

Para quem quiser ensaiar o seu naipe com o acompanhamento, eis a obra de arte da Luci.
Curtam, que lindo!

Deitado em manjedoura - instrumental



Noite Santa - instrumental

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

E seguimos cantando...

E nossa confraternização foi um encanto.
Apesar da falta de alguns (que aconteceu?) e do calooor, foi um bonito encontro que guardava muitas histórias vivenciadas ao longo deste 2012.
Depois de um ano de muitas conquistas, bençãos, lutas, dificuldades, perdas, partilhas, a música mais bonita foi ofertada no altar de cada missa, um ano inteiro - Deus companheiro - havia então muito pra celebrar! Festa, mesa farta e muito saborosa, bebida geladíssima, presentes pra brincar e alegria...
Não sabemos quantos mistérios divinos se esconde dentro desse Grupo tão bonito, mas sabemos o imenso Amor que ele contém. Aos pouquinhos vamos colocando esses tesouros por aqui.
Hoje, seguem as letras das músicas parodiadas para os nossos queridos Marly, Luci e Chico.
Foi a Sueli quem escreveu. A primeira é embalada pelo "Canto 90" do nosso Folhetão (sua música predileta)... vejam que lindos dizeres ela escreveu para os nossos cristais.
A segunda foi inspirada pela música "Naquela mesa", de Nelson Gonçalves. Foi carinho pro Chico redescobrir o valor que ele também tem.

Essa semana será bem intensa e ainda teremos outros momentos juntos! Que delícia!

Beijo carinhoso no coração de cada um.

Cláudia




Luci e Marly – Os nossos Cristais

Pelos anos caminham / Luci e Marly

Conduzindo-nos todos / pelos sols, lás, sis

E nos dias de pedra e naqueles de amor

Revigorando planos / de louvar ao Senhor!
 

Olhem as flores do encanto / que trazem no olhar

Quando em dias de gala / nos pomos a cantar

E a gente se faz grande / por tanto amor,

E com brilho nas vozes / louvamos ao Senhor!

 
Pelos anos caminham / Luci e Marly

Conduzindo-nos todos /pelos sols, lás, sis

Como estrelas brilhantes / num céu de alegria,

Guiam a nós, seus cantantes / seus Josés e Marias

Mesmo quando cansados / nos pomos em pé

E seguimos cantando / os dós e os rés

Pelos anos caminham / Luci e Marly

Conduzindo-nos todos / pelos sols, lás, sis


Diz o canto noventa / que agora versejo

Que José e Maria / um Deus escondiam.

Nossa história é distinta / pois em nossos cristais,

Nosso Deus está à mostra,

Não se esconde jamais.

 

Ao amigo Chico

No nosso coral / faltava um som

Que só um grande dom / podia preencher

E ele veio / violão em punho

Com os seus acordes / nos enternecer.

Além do som / nos trouxe amizade

Que pra nós na verdade

É um bem maior,

E o seu legado para esse Grupo

Não tem preço, amigo

Nos fez ser melhor


Nosso coral se tornou mais rico,

Com o seu sorriso / querido amigo Chico,

Nosso coral se tornou mais rico

Com os seus acordes,

Querido amigo Chico.


quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Natal Branco

Está na hora de aprender algo novo!

Sopranos


Contraltos


Tenores


Baixos



Natal Branco

De longe uma canção linda
que os sinos tocam sem cessar
Este é o momento que une as almas
pro mundo inteiro celebrar!

De longe esta canção linda
que com o céu se misturou!
Vem fazer o mundo feliz
no Natal feliz que já chegou!
É Natal!

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Cantata de Natal - Paróquia Santo Antonio


No dia 16 de Dezembro, na Paróquia Santo Antonio da nossa cidade, haverá a Cantata de Natal.
Vamos participar também?
Nós estaremos lá!



quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Acordei sorrindo

Depois de dias de silêncio - todos estávamos mais quietinhos, sabemos bem os porquês - acordei sorrindo das coisas mais simples dessa vida. Bem, não foi exatamente assim, que eu acordei faz muito tempo. Mas resolvi ouvir um pouco das gravações que fiz ontem no ensaio com meu celular. Acho a maior graça como vocês fazem bagunça. 'Tá, tá bom'... eu ajudo também! kkk
Não sei ainda o que dá pra aproveitar, mas dá pra curtir, ouvir aguma música talvez e brincar um pouquinho e, para começar, resolvi postar duas fotinhos... aiai, se contar ninguém acredita!
Uma é só pra provar que a 'chefa' também toca, beeem de vez em quando.
 
 
A outra, é pra mostrar ela nanando o neném pra ver se a gente cantava mais baixinho... hahahaha. A foto não ficou boa, mas é a única prova que tenho! ehehehe
Digam pra mim se é normal uma pessoa - do nada - sair correndo pra pegar um rádio no colo, dizendo que é um bebê e fazendo todas as feições possíveis de cuidado com ele... mandando a gente abaixar o volume... kkkk.
Não! Eu mesma respondo, não é normal! É feliz! Nós nos divertimos em meio a tudo isso e a música vai saindo aos pouquinhos. Sejam abençoadas as pequenas alegrias, Senhor!
 
 
Estar pertinho, jogar conversa fora, saborear simplicidades... que riqueza existe em nosso meio!
Um beijo de bom feriado pra todo mundo e que os nossos melhores sentimentos continuem animando a todos que precisam de muita alegria e um pouquinho de carinho. Aqui nesse grupo lindo tem!

Em breve mais bagunça no ar. Risos!

domingo, 11 de novembro de 2012

Mais um poema da nossa jovenzinha

E segue mais um poema da nossa querida Ivone, que acaba de completar 85 primaveras. Sensibilidade e vitalidade acima de qualquer coisa. Bonito de se ver!


A árvore

Em pé na estrada, triste e ressequida

Os braços hirtos como a procurar

As folhas todas, as flores coloridas

Que as mãos do vento vieram lhe roubar

Ah! Sua sombra era majestosa

Ah, que sombra linda e frondosa

Onde se abrigava o viajor

Do sol, das intempéries

Seu tronco jamais se vergou

Nunca um só galho se quebrou

E guardou com amor seus galhos, seus frutos e flores

Lembranças de seus amores

E tudo mais que sempre amou

Medo não teve da noite

Nem dos milhares  de açoites

Que a tempestade enviava

Mas, quando vinha a bonança

O céu azul se iluminava


Tal qual rainha reinava na festança ruidosa

Que a natureza lhe dava.

Hoje triste e ressequida olhando a estrada da vida

Não tem mais frutos nem flores

E de tantos, tantos mil amores

Nem uma flor lhe restou.



Ivone F. Souza

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Folhas secas - Ivone F. Souza



As vezes eu me surpreendo

Olhando a minha rua,

Fria, deserta, solitário

Sob a luz da lua.

O vento revira as folhas

Caídas, secas e mortas,

Se acumulando, tal qual lixo

Em frente as nossas portas.

Tudo que era verde, belo,

Suculento, hoje apenas

Folhas secas levadas pelo vento.

Eu até penso e este é o meu maior tormento

Cadê o vigor? Cadê o Verde?

Cadê o amor? Onde está aquela copa linda?

Se foram todos, até os passarinhos

E eu? Eu fiquei sozinha.

Com a saudade do que foi embora.

Tudo me faz chorar e relembrar agora.

Então aí eu fico ó um instantezinho.

Que mais posso fazer?

O luar chora prateado sobre mim,

Mas sei bem, bem sei, não é o fim

A ruazinha voltará um dia

Mais bela, em nova aquarela, voltará.

Mais verde, mais perfumada, reinará e a vida

Esplendorosamente continuará.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Amiga

Fui vê-la após a vida..
e não é que não era ela?
E no espanto desta descoberta,
A certeza da verdade,
antes só dita, e finalmente sentida:
Era só pó!

Ela, a nossa Verinha, estava mesmo era por alí,
implicando com a gente, fazendo “espirra gato”,
tagarelando, futricando dos que pediam silêncio.

Ela estava por alí,
Como antes.
Chorando a verdade da dor,
Mas reafirmando sua fé
e sua vontade de viver.
E quando se tornou inevitável,
se fez bonita.
Colocou lenços e fitas,
beijou os amigos,
Sorriu e cantarolou
enquanto e quanto podia.

Aceitou complacentemente nosso mimo.
E por, isso a pudemos mimar.
Dia após dia.
E ela era que era só amor.

Me disseram que foi assim que se foi.
Cantarolando.
Eu ainda olho no horizonte, esperando vê-la voltando...
Certamente há de estar chegando...

                                             Sueli

sábado, 27 de outubro de 2012

Verinha - Só Luz do Senhor!


Tão difícil falar sobre a partida de alguém que agorinha mesmo lhe sorria, demonstrando uma vontade toda imensa de viver...
Mas a vida, essa experiência sem repetições que nos pertence finitamente, se solta rumo a um destino desconhecido para nós, desconhecido e que nos deixa tantas saudades...
Abaixo seguem-se os depoimentos que recebi em honra a essa pessoa querida que já goza da plenitude de Deus.


Vida!

     Já sentimos saudades suas, querida Verinha. Sei que posso falar em nome do grupo.
     Saudades do jeitinho, do modo charmoso de se vestir, dos olhares individuais com os quais ela nos cumprimentava um a um... Falar do modo de vestir nessa hora poderia soar como algo tão incoerente, mas tem sua razão - nunca vi alguém doente como ela estava, cuidar-se para a vida com tanto zelo. com tamanha dedicação!
     Foi assim o tempo inteirinho... combinação de cores, echarpes, detalhes, que vontade de viver!
    Quantas coisas nós nos dissemos, aflitos pelo que se pressentia e realmente acontecia, sem conseguirmos dimensionar qual era a urgência, qual o momento, o quê e como fazer, porque ela, conversando, respirando mais fundo pra se manter, comendo melhor do que nós mesmos, parecia estar comungada com a Vida, e nada mais. Ela mesma que acompanhou a partida do esposo, com a mesma doença, parecia alheia aos dados reais e conectada a uma possibilidade maior de continuar...
     Vimos os sinais da finitude porque eles eram inegáveis, mas foram tão sutis e pequenos diante da energia de vida que ela queria conter. Agarrar-se a qualquer esperança não nos revolta com a morte, mas nos indica pra onde olhar também... a Vida continua!
     Fez com que nos reuníssemos em volta do Cristo, ensinou-nos lições de humildade e simplicidade, revelou pessoas lindíssimas que temos dentro do grupo, silenciosas e profundamente amorosas de forma concreta, palpável. Amor-aconchego, amor-alimento, amor-transporte, amor-amor...
     Ontem, reunidos na igreja para a preparação dos pastéis, alguém me disse que perdemos a oportunidade de fotografá-la, de registrá-la na última missa, em que ela estava, se não me engano, com uma peça de roupa portuguesa, linda-linda. Eu estava emocionada e não consegui responder... mas eu a havia fotografado em mim, meu olhar não teve como não vê-la, singela e presente, não parecia morrer. Isso foi há bem poucos dias.
     Da última vez que pude estar mais perto dela, graças ao carinho indizível da Regina e da Marly  (quanto sentimento...), ela me mostrou o apartamento e me contou como o milagre de ter aquele lugar aconteceu... hoje eu só consigo pensar que tudo é cuidado de Deus... tudo é ternura derramada que a gente nem sempre vê, mas ela via. Vivia.
     Penso também que nossas muitas angústias sobre todas as coisas terminam em Deus.
     Por hora vivemos a despedida, mas então o alívio por saber que agora ela está no Paraíso, no descanso, no Consolo Infinito, na vida eterna, no Amor que tudo ama... Deus Pai!
     Agradecemos a Deus por sua vida, querida, e pedimos a Ele que esse seu ensinamento realíssimo seja para nós caminho para o Caminho! Que Ele abençoe cada membro da sua família, seus filhos, seus amores, seus amigos.
     Que aprendamos com você a saborear cada dia com essa imensa vontade de Viver!
 
Claudia
 
 Saudades!
    O dia amanheceu muito triste com a notícia da partida da Verinha.  Embora esperada, não menos triste.  Lembro-me da última missa no bosque.  Estacionei, caminhei em direção à entrada e alguns metros acima lá vinha ela, pequenina, toda arrumadinha, o sorriso de sempre!  Surpresa ao vê-la ali, de pé, apesar do agravamento da doença, dsejando estar conosco.  Caminhamos abraçadas até a locomotiva.  Ela falava sobre as sequelas do tratamento que vinha sofrendo, sempre naquele tom de aceitação, sem qualquer revolta. 
    Verinha, sei que você compreende por eu não ter estado mais com você nesses últimos tempos.  Você agora sabe de todas as razões.  Mas saiba que carreguei você no pensamento e no coração durante toda a sua trajetória de luta pela vida.  Coragem e paciência para tudo enfrentar sempre com semblante sereno que todos nós do coral pudemos acompanhar e admirar.  Exemplo de alma linda e pura, modelo a ser seguido em todos os momentos, particularmente nas tribulações da vida. 
    Bom saber que você está aliviada de tanto sofrimento.  Siga em paz nos caminhos de luz que a esperam rumo à eternidade.
    Com amor, deixo prá você esta bela frase de Saint Éxupery: 
 "Aqueles que passam por nós não vão sós;  não nos deixam sós.  Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós!"
 
Luci
 
 
Você (Verinha), no meu mundo
 
    Conheci pouco a Verinha, mas tive a graça de estar junto dela neste finalzinho de tanta dor.
    Com o seu retorno ao Pai, um misto de sentimentos toma conta de mim: tristeza com a separação e alegria de salvação.
    Corri entao, pegar o Folhetão do nosso coral.  Encontrei este canto, que me trouxe mais perto dela e eu digo porque:
    "Como a flor que se abriu, pra trazer primavera"...
     É mesmo, estamos em plena primavera.
    "Confirmando do inverno o seu sono profundo"...
     Pra mim, um inverno de 7 anos, da partida do meu pai, em condições semelhantes às suas...
    "Superar os limintes do tempo de espera"...
    Quão grande e difícil esse caminho! Não tenho dúvidas que somos pedras preciosas, diamantes que Deus lapida até atingirmos o quilate que só a Ele interessa. Aí seremos guardados no Santo Cofre, de segurança máxima.
    Por isso, Verinha, eu posso dizer que como a flor que se abriu, foi você no meu mundo.
    Obrigada por ter me permitido entrar no seu silêncio.
 
    "Agora é silêncio na Terra e no Céu...
      Silêcio que prega...
      Só luz do Senhor!"
 
                                                Com carinho
Regina C. Turtelli



 
 
 
 

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Doce Marina...

 
Viver, como sempre, é dimensionar os acontecimentos a nossa volta e escolher as ações que devemos e/ou queremos tomar diante delas.
Quase sempre estamos na igreja, buscando acertar o canto, a letra, o tom, e entre tantos detalhes que importam, algumas vezes na angústia, olhar pra esse sorriso é algo absolutamente especial.
Se não bastasse o sorriso, há um carisma... ahhh, que carisma!
Ela junta os dedinhos das mãos e nos diz que as coisas são "muito chics", derretendo-se de tanto charme! E, para nosso total encantamento, sabe todas as músicas que cantamos, adora de paixão o pandeiro e imita a doce regente quando está em casa. No ritmo certo bate palmas e acompanha - quase sustentando - toda nossa alegria! Quase? Vontade de beijar e apertar, vontade de chorar de tanta alegria!
Olhar pra ela é de aliviar a alma, de saber-se certo, no lugar e hora certos. Perfeição! Uma outra perfeição. Aquela que almejamos a vida todinha, ali, disponível, pertinho das nossas mãos. Da gente.
Deus nos fala de tantas maneiras e essa certamente é uma das mais doces... Marina! Ah, Marina, você nem imagina o quanto a gente ama você apaixonadamente!... só temos a agradecer!
Ontem ouvi seu avô contando que você pede mil vezes que ele coloque o cd do coral pra você cantar... mais responsável que todos nós juntos, você nasceu assim, especialmente pra nos iluminar! Sorria sempre, Marina, cante sempre conosco, querida! Alegria mais linda não há!...
 

domingo, 14 de outubro de 2012

Aniversário da Yara

Alegria-amizade-poesia músicas-sorrisos esperanças-comunhão histórias-luz-amor-Deus sonhos-realidade
Foi assim que a gente celebrou mais um dia, na grata companhia da Yara e família!


Foi uma delícia!
Obrigada, queridos!



 
 
 



sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Como uma criança



47- Como uma criança

Como uma criança, Cristo ensinou que eu devo ser
se quero ir ao céu
ter a mente limpa e um puro coração
como uma criança eu quero ser.

Como uma criança,
assim eu quero ser,
com Cristo em meu viver irei renascer  

Sempre que na Bíblia este verso eu lia
não podia ainda tudo entender...
Quando uma criança Cristo em mim fez nascer
pude compreender o que Deus quer de mim:

sinceridade,
amor,
perdão
e paz
só uma criança pode ter.





sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Regina

Penso que o encontro verdadeiro, tu a tu,  talvez seja o maior e mais belo presente que o Criador nos doou para que, nos abrindo à graça concedida, pudéssemos vivenciar em plenitude uma pontinha do Amor que nos entrega e reserva.
Quando vejo que isso acontece, sempre me volta à lembrança uma imagem utilizada pelo meu querido Pe. Jesus: "o Sol a tudo ilumina, mas se olharmos diretamente para ele, nos cega".
Imenso Amor de Deus, do qual desfrutamos em pequenos vislumbres, feito raio de Sol, quando de verdade nos encontramos com a alma do outro.
Luci, querida, que bom você ter escrito. Que bom todos nós termos encontrado essa doçura de pessoa, que o nome já diz "Rainha"!


Falar da Regina é tarefa muito fácil: pessoa linda, amável, amiga, sempre pronta a dizer palavra que edifica, que consola, que dá ânimo, que restaura forças. Com seu sorriso iluminado, tem me dedicado incontáveis demonstrações de amizade.
Sinto nela a pureza de intenções, o desejo de me ver melhor.
Na correria da vida, encontrou tempo para mandar bordar toalhinhas com o nome da minha netinha. Lindo, lindo!
Obrigada, Regina, por se colocar ao meu lado em momentos tão marcantes, alegres e tristes.
Felizes os que têm o privilégio de tê-la sempre por perto, como nós do coral.
A você minha gratidão, meu carinho e amizade.
                                                         Beijos.
             Luci

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

01 de Outubro - Dia Internacional da Música

 
 
Dia 01 de Outubro foi o dia Internacional da Música.
A falta de tempo não pode impedir o agradecimento pelo que essa arte faz em nós!
Pelo quanto ela nos eleva ao céu, ao que permanece!
Capaz de mudar o estado de humor, de reconduzir o espírito aos sentimentos mais sublimes, ela invade o silêncio para nos falar numa linguagem que entendemos muito bem... sem esforço algum, com simplicidade e beleza, basta sintonizar... e, se isso acontece em grupo... não há agradecimento que baste, mas mesmo assim, gracias amigos queridos! Gracias, Marly, por perseverar e resistir!
 
Claudia
 
 
 
Obs: Sra. Ivone, querida! Logo postamos seus poemas aqui! Beijinhos.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Missa Bosque da Comunidade

E lá fomos nós mais uma vez comungar da beleza da Missa no Bosque da Comunidade.
Sorrisos, amanhecer! Belezura de criança dormindo. Primavera. Lindas palavras recitadas pelos Trovadores, música ao vivo e essa gente tão querida, sempre reunida! Queridíssimos!


        
 










segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Vamos anotando

Estaremos com programação intensa nos próximos dias.
Anotem aí!


Dia 28 de setembro: novena de São Judas Tadeu com a relíquia de São Judas - 19h30

Dia 30 de setembro: Missa no Bosque da Comunidade, às 10h00.

Dia 12 de outubro, sexta feira: (Nossa Senhora Aparecida) - Matriz S. Judas - 19h30

Dia 20 de out, sábado: celebração do Jubileu/lançamento do livro - Matriz S. Judas - 19h30

Dia 28 de outubro, domingo (Dia de S. Judas) - 19h30 (Não haverá missa no Santuario)

domingo, 9 de setembro de 2012

Quem sabe...

Uma música linda e suave para descansar o corpo, a mente, a alma.
Quem sabe ela nos conduza ao Coração.

 

André Rieu
Love theme from Romeo & Juliet


sexta-feira, 7 de setembro de 2012

A nossa maestrina

 
Pena que nunca se registre,
para além do que podemos na mémória guardar,
o corpo que balança e se agita,
se contorce e nos conquista na dança do cantar.
 
Pena que nunca se registre,
pra além do que guarda a nossa frágil memória,
A glória do seu rosto inteiro:
 
Olhos, nariz, sorrisos,
Boquinhas e bocões,
Sombrancelhas, franjas e orelhas,
a conduzir nossas canções.
Ah, pena que nunca se registre,
seu todo, seu inteiro,
a reger nosso cantar.
a se despedaçar e se juntar,
qual música plasmada,
encantando encantada,
se derramando aos nossos ais...


Maria Sueli

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Versos para o Coral


Pelos caminhos eu subi ladeiras
Beirei os rios turvos, ribanceiras
Pisei espinhos, mas não vi a flor
Eu já cansada, quase desistia,
Então ouvi suas palavras enamorada
Bebi feliz na fonte da alegria
E de repente eu fiquei desperta
Meu coração bateu com muito mais vigor
Estar aqui, viver, sentir amigos
É encontrar o verdadeiro amor,
Levo nos braços, meus oitenta passos
Uma existência que me faz feliz
Em troca, deixo no caminho, o rastro
A luz, os versos para alguém que eu quis.

Ivone
 

terça-feira, 4 de setembro de 2012

As mãos da Maestrina

 Que força imensa
E que poder tão grande
Tem as suas mãos,
Que, em movimento leves,
Ágeis, tão suaves, emanam energia
Em nossa direção.

E recebemos seu recado
Diálogo entre irmãos
De amor é a mensagem
Que anima e reconforta,
Aquece o coração.

Sentimos que nossa alma
Suporta até a dor.
E nos transporta de joelhos
Aos pés do Criador.

Eu sei que Deus nos ama e ouve,
E a prece é repetida,
Pois somos nós guiados
Por suas mãos, querida.

Ivone F. de Souza - Abril de 2012
 

domingo, 2 de setembro de 2012

As mãos do meu pai

As tuas mãos têm grossas veias como cordas azuis sobre um fundo de manchas já da cor da terra 
Como são belas tuas mãos pelo quanto lidaram, acariciaram ou fremiram da nobre cólera dos justos...
Porque há nas tuas mãos, meu velho pai, essa beleza que se chama simplesmente vida.
E, ao entardecer, quando elas repousam nos braços da tua cadeira predileta, uma luz parece vir de dentro delas...
Virá dessa chama que pouco a pouco, longamente, vieste alimentando na terrível solidão do mundo, como quem junta uns gravetos e tenta acendê-los contra o vento.
Ah! Como os fizeste arder, fulgir, com o milagre das tuas mãos!
E é, ainda, a vida que transfigura as tuas mãos nodosas...essa chama de vida - que transcende a própria vida...e que os Anjos, um dia, chamarão de alma.

Enviado pela Lúcia, para ser publicado hoje.

sábado, 1 de setembro de 2012

Vou cantar Teu amor II

imagem do google


Nos bastidores da preparação do Festival e do Jantar pelos 20 anos, ou mesmo enquanto a festança acontecia no terceiro dia de comemoração, em que ensaiamos e comemos ainda o pão do milagre (quanta multiplicação!), outras coisas, que chamarei de detalhes muito importantes, aconteciam...

Tinha aquela pessoa que enfrentava uma situação desafiadora na alma, procurando manter o espírito altivo, apesar de. A outra que, humilde, oferecendo seu tudo, fez um bem maior do que poderia imaginar; tinham os nossos ‘doentes’, que por estarem já ausentes afetavam nossa emoção, porque nada é tão pleno onde falta um membro do corpo...

Tinha a pessoa animada, comunicativa, que tanto nos alegra, a enfrentar os problemas de saúde em sua família, tão sérios, meu Deus... participando o tempo inteirinho! E os que tem um filho especial, solicitando permanente presença e que manifestou clara irritação com tanta repetição das músicas que a mãe ensaiava... pudera, que judiação! risos...
 
Tivemos muitos que não puderam ser presentes fisicamente, mas que souberam se fazer presentes pela delicadeza de respeitar as decisões tomadas e seguí-las, ou pela atenção dispensada nas horas em que puderam estar junto. Tivemos os que lutam internamente para superar perdas profundas e, para os quais, a alegria é, na maioria das vezes, mais um esforço do que um sentimento presente inteiramente. E a que precisou viajar na última semana e nos deixou o coração e, além disso, postergou seu descanso ao chegar da viagem para estar conosco em qualquer situação.
 
Mais aquela, que enfrentava sensações febris decorrentes do tratamento de um câncer, mas que estava ali, bonitinha, animada mais do que podia, ajudando-nos em todos os momentos, não somente com suas atitudes colaboradoras, mas com aquela carinha de quem faz unidade e pronto, simples assim! E os que vão na valsa sem perceber muito a canção, pela idade, pelo desligamento ou por outros chamados que a vida faz, e vão... e, embora menos visíveis, não posso esquecer os que, sozinhos, são o esteio do bom humor em seus lares e que se nutrem do coral, para fortalecerem a caminhada...

Houve também, isso eu vi muito nitidamente, aquele que ‘voltou a andar’ quando sentiu-se motivado a ser o animador do Festival... quantas vezes faltou, sem força física pra ensaiar; quantas vezes, durante os últimos ensaios, permaneceu sentado porque não havia muita força ou equilíbrio para levantar... mas ergueu-se com a voz vibrante por causa do sentido... tão bonito, meu Deus, no apoio silencioso da esposa, que aos poucos recobrava brilho no rosto ao ver melhorar seu querido...

Já que vim falar, vou me incluir e me dizer, que também enfrento os meus dias... administrei as preocupações com minha mãe, que breve passará por uma cirurgia; vivi a tristeza de saber sobre um ex-paciente que ‘escolheu’ um tristíssimo caminho; acompanhei histórias profundas, difíceis, que nem posso contar e me dediquei com alegria a viver com as meninas o que posso chamar de vivência fraterníssima...  Organizar tudo com vocês foi bálsamo suave nos dias e, pra depois do cansaço, o descanso que não se conquista em qualquer condição - a paz sentida! Impossível descrever...

Soube, durante o jantar, que alguém havia perdido em ente muito querido, mas estava lá, somando seus pedacinhos conosco o tempo todinho... e, se podemos juntar pedaços de amor, generosidade, empenho, pra que perder tempo com coisas de menor valor? Vamos seguir em frente!

Há aqui nomes declarados, outros em sigilo, há coisas conhecidas, outras escondidas e a intenção não é mesmo expor pessoas, mas fazer ver pela cortina QUANTA VIDA EXISTE! QUANTO VALOR!

Sim! Por isso, na sexta-feira do festival, quando vi um dos grupos, lá no fundão, de braços erguidos, movidos pra nos acompanhar na canção, deu uma vontade imensa de chorar esse Vale-a-pena imenso! Não fui só eu quem sentiu essa imensidão... muitos exclamaram a mesma surpresa, a mesma emoção...

Estive pra dizer pra regente que, falando a mais pura verdade, ouvir tanta gente cantando, ver seu esforço conosco desde o início, ver seus filhos chorando no corredor lateral, foi pra acabar... Como cantar??? A gente bem que tentou, hahahah!

É por isso também que, quando fui oferecer bolo aos membros de um dos corais, que saiam antecipados por causa de outro encontro e vi neles a delicadeza de quem canta com tanta técnica, acolhendo a nossa simplicidade... estava valendo, tudo estava valendo!

Da própria Marly, eu ouvi sobre os carinhos que as pessoas lhe disseram nos ouvidos, gente que faz de um tudo para facilitar, fortalecer, animar... gente que ama simplesmente; e o velhinho correndo feito criança feliz para abraçá-la, pessoas delicadíssimas, mas firmes, apoiando-a com olhares, palavras, e tanto mais!
 
É, muita gente vê tudo isso. E é isso que faz valer de verdade. Essa força silenciosa de gente que dá o melhor que pode dar. Que não dá atenção pro que divide. Que procura somar! É por esses silenciosos sofrimentos, pelo discreto amor, por uma força maior que supera as barreiras, pelo que transcende a vida, ultrapassa a dor, pelo melhor, que tudo vale a pena.

Quero agradecer especialmente pelo carinho de todo mundo. Pelo que pude testemunhar. Pelos esforços profundos de cada um, pela alegria que fazem junto, pelo que me permitem apreciar.

Obrigada, Marly querida, porque isso é Vida. É a força de amor do Espírito Santo que faz a música chegar bonita nos ouvidos, como você sempre nos diz! Você nos rege nesse Sentido muito bem! Gracias também!
 
Sabendo dessas coisas que eu acabei de contar neste texto, e conhecendo que há tantas mais na vida de cada pessoa, que sequer podemos imaginar, eu sinto que Deus deve sorrir esse riso emocionado que sorrio e tudo que me vem ao pensamento é que Ele ouve a música escondida! Tudo será consolado!

Valeu e vale a pena, concordam?
Será que, por isso, uns coralistas lindos nos cantaram essas palavras nos ouvidos?
Hummm, entendi tudo!
Beijo nos corações e um lindo final de semana.


 


Essas imagens foram encaminhadas pelo José...
as belezas individual e coletiva... grande resposta!


sexta-feira, 31 de agosto de 2012

20 anos!


20 anos! Hoje em dia, esse é um tempo maior do que muitos casamentos, com certeza!

Depois de tanto tempo, olhando para trás, para a minha vida e para a nossa vida em grupo, tenho a certeza de que o presente é sim, fruto das escolhas que fazemos, acima de qualquer outra coisa...

O mundo pode conspirar contra, os acontecimentos podem ser avassaladores, mas a maneira como vivenciamos cada dia, as escolhas que fazemos é que fazem a diferença e determinam se o caminho é penoso ou leve, se a vida é vazia ou plena, se os relacionamentos são amorosos ou rancorosos...

Viver em família nos ensina que, para o bem de todos, cada um tem que se mover, abdicar, relevar, considerar, olhar mais para as qualidades do que para os defeitos... Ensina que é preciso ter humildade, amorosidade, cuidado com o bem-estar do outro... que não se pode pensar apenas no próprio umbigo, porque o mundo é lugar de todos e é exigente...  e, a gente, sobrevive com qualidade de vida e com alegria somente na solidariedade, no encontro e no amor.

Essencialmente, Deus é Família: Pai, Filho e Espírito Santo... Deus Criador de todas as coisas, Deus Filho amoroso que a tudo acolhe e recebe, Deus Espírito Santo, Amor Pleno que une pelo Amor e gera Amor. Nosso modelo está posto!

Não é somente tema de doutrina... É proposta de vida! Tudo o que contrariar a esse modelo, nunca poderá dar certo, porque estará na contramão da Criação... 

Olho e vejo que temos buscado, incessantemente, escolher essa Vida manifestada na Trindade. Dentro da nossa imperfeição, temos buscado, buscado e buscado... E não é fácil perseverar neste empenho... Embora não seja verdade para todos, muitos que já estiveram entre nós pararam nos defeitos ou dificuldades que temos e desistiram... foram por outro caminho.

A experiência que fazemos não é qualquer coisa e tem se mostrado sólida, tem apresentado os frutos, os sinais da presença de Deus: companheirismo, solidariedade, amorosidade, perdão e permanência.

Sinais de Jesus no meio, do Espírito Santo dando sustento naquilo que somos falhos...
 
Viver e permanecer em Comunidade – com alegria, aconchego e vontade de ser melhor – é uma experiência a que muitos são chamados, mas poucos dizem sim...
 
Temos dito SIM há 20 anos! Que Deus nos conserve nesse caminho, que nos permita continuar na Graça.

Estamos todos de parabéns por esta grande festa, que começou lá em 92 e continuará até quando Deus permita a cada um de nós.



Por isso demos graças a Deus e digo a cada um, como diria um querido amigo: gracias siempre!

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...