quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Nenhum gesto de amor se perde para Deus

    Cada gesto que posso fazer, cada palavra que posso dizer, no amor de Deus, engrandece minha humanidade e eleva toda a humanidade a um patamar diferente do que estava antes.
     Por que dar espaço ao que é ruim, se posso focar e mudar tudo com o que é bom?
     Não é preciso muita coisa para que eu possa fazer minha parte...

O amor é paciente, o amor é prestativo; não é invejoso, não se ostenta, não se incha de orgulho. Nada faz de inconveniente, não procura seu próprio interesse, não se irrita, não guarda rancor. Não se alegra com a injustiça, mas se regozija com a verdade. Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais passará. (1Cor 13, 4-8)


A letra abaixo é uma tradução da música tocada enquanto o vídeo roda.

As vezes eu deito, sob a lua,
agradeço a Deus,
estou respirando e rezo:
não me leve logo,
pois estou aqui por uma razão
Às vezes quase me afogo em minhas lágrimas,
mas eu nunca deixo que elas me abalem.
Então quando a negatividade me rodeia sei que um dia tudo  irá  mudar,  
porque em todo o meu viver estive esperando,
estive rezando,
para que o povo possa dizer
que nós não queremos mais nenhuma luta,
que não haverá mais guerras,
que as nossas crianças vão brincar.
Isto não é sobre vencer ou perder,
porque todos nós perdemos
quando eles se alimentam nas almas dos inocentes,
sangue escorrendo pelas calçadas, levado pelas águas
Continue lutando furiosamente,
pois nesse labirinto você pode perder o caminho (seu caminho)
e pode chegar à loucura,
mas não permita isso de modo algum.
Um dia isso tudo vai mudar
tratar as pessoas como iguais
parar com a violência
acabar com o sofrimento
um dia todo nós estaremos livres
e vamos nos orgulhar de ser iguais
cantando canções de liberdade

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Que venha 2012!

Estamos terminando 2011 e hoje é o último ensaio do ano...
Partilhamos inúmeras coisas e certamente continuaremos a partilhar, enquanto o Senhor assim o permitir...
Não poderia deixar de dizer, mais uma vez, o quanto essa experiência de compartilhar a vida em comunidade, nossa pequena comunidade, é importante para a minha vida e o quanto ela me fez e faz crescer...
Penso que o mesmo acontece com cada um de vocês...
O convívio semanal nos exercita no amor, na paciência, na compaixão, na amizade, na partilha de alegrias e tristezas, enfim, nos torna melhores, mesmo que às vezes a gente nem se dê conta. Buscar ter Jesus presente entre nós tem nos mantido unidos e amorosos, mesmo quando alguem "sobe o tom", "desafina", sai da "melodia"... Lógico, somos humanos, imperfeitos e cada um tem seu dia de "notas pouco harmoniosas"...
Eu sei que muitos de vocês, às vezes, se impacientam com algumas coisas, pois gostariam que tudo fosse mais perfeito... o som, o retorno, os arranjos, a regência, a técnica vocal, a sonoridade, o acompanhamento... Mas é tão bom assumir a imperfeição... Porque assumindo isso, podemos ser melhores, fazer da fraqueza a força e desta forma, dar o melhor de si. Só.
Se a gente pára na imperfeição, fica imobilizado... Não canta, não toca, não participa, se esconde... E fica sozinho...
Estar junto e unir forças e imperfeições tem nos feito ser como somos...
Tem nos feito cantar pra Deus e ver que Ele, presente, faz acontecer, nas pessoas que nos ouvem, o milagre de sermos harmoniosos.
Acho que "só" isso bastaria... Mas não é só isso que temos, com certeza...
Temos entre nós um GRANDE, IMENSO amor, que se manifesta em tantos pequenos gestos, em tantas pequenas delicadezas, em tantas orações ardorosas, na nossa plena juventude em estarmos entusiasticamente nos encontrando nos ensaios e missas...
Tantas vezes olho para vocês e vejo somente crianças... Não estou falando pela folia e irreverência de alguns momentos, estou falando pela pureza, amorosidade que vejo nos olhos de cada um quando canta ou toca, com vivacidade e alegria, tentando o seu melhor.
E quando vejo o resultado final, não importa muito se teve alguma coisa que não deu muito certo, se ficou aquém do ensaiado ou esperado... Importa ver sempre o que vejo, viver com vocês o que vivo, porque é disso que a vida é feita. Nem sempre é do jeito que a gente quer, nem sempre é o que a gente esperava, os imprevistos acontecem, mesmo que a gente planeje muito e treine bastante... No final, tudo o que fica é o que cada um deu de si. E diz a música que, no final, o amor que a gente tem é o amor que a gente deu... ("In the end, the love you take is equal to the love you make").
Sempre procurei um vídeo para postar aqui, que pudesse dar uma ideia do que eu digo quando olho vocês... Talvez me compreendam melhor assistindo esse vídeo...

Quem pode dizer que tudo foi como o planejado?
Quem pode dizer que deu tudo errado?  
Será que alguém deixou de entender a mensagem?
Que nosso ensaio seja puro amor e entusiasmo, que a missa de Ano Novo seja também e, especialmente, que 2012 nos encontre feito crianças, que muito se alegram em estar reunidas e repartirem seus dons.

Beijo imenso a cada um.




sábado, 24 de dezembro de 2011

Tudo passa, só o amor não passa

Que delícia quando a gente encontra um registro de momentos importantes com pessoas que a gente ama!!!
É que o tempo passa, a vida muda e nem sempre é possível repetir encontros e momentos tão felizes...
Tudo isso faz parte da vida e para não ficar unicamente no saudosismo é preciso viver cada momento presente com intensidade, experimentando e buscando sentir o Amor que se faz presente a todo instante em nossas vidas.
Se vivemos por inteiro cada momento, a sensação de plenitude do vivido nunca passa.
Para mim o momento registrado no vídeo abaixo é um tempo assim, cheio de vida e plenitude, que se repete ad infinitum, mesmo que não seja possível estar junto...
Alguns de nós estamos reunidos na casa do Américo e da Dirce (papai e mamãe) para, depois de termos comungado juntos na Missa do Galo, celebrarmos o Natal. Como todos sabemos, o Osvaldo comemora o aniversário dele hoje, dia 24, e então, celebrávamos o dom da vida dele também.
O início da filmagem documenta que estávamos em 25 de dezembro de 1994 e ele estava fazendo 53 anos. Hoje está celebrando 70.
Lá se vão, no mínimo, 17 anos de convívio amoroso, no qual inúmeras e repetidas vezes temos celebrado juntos o Amor que nos une.
Que grande alegria e previlégio poder estar na vida assim e ser com o outro...
Deus seja louvado por isso e por tudo quanto dá de graças a cada um de nós que convivemos semanalmente, para viver e encontrar Jesus.
Vocês poderão ver no vídeo: Ana e José Roberto, Maria Alice e Waldemar, Katia e Léo (ainda na primeira vez que moraram na cidade), Neide e Osvaldo (obviamente), meus sogros, papai, mamãe, meus irmãos (Junior e Ivan) e minha cunhada (Denise), o João, a Vanessa e eu...
Os detalhes ficam por conta de vocês... Divirtam-se!



Neste vídeo, os demais presentes que não aparecem no outro, numa coletânea de imagens (do jeito que eu consegui editar...).

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

É quase Natal

    O Natal está pertinho, novamente o Menino nasce entre nós. Como está sendo a nossa espera?

  

domingo, 18 de dezembro de 2011

Hoje a noite é bela

"Jingle Bells" é uma das canções mais conhecida e cantada no mundo. Ela foi escrita por James Lord Pierpont (1822-1893) e publicada sob o título "One Horse Sleigh Open", em 1857. Embora seja comumente considerada como uma canção de Natal, na verdade foi escrita e cantada para o Dia de Ação de Graças. Ela foi reimpressa em 1859, com o título revisto de "Jingle Bells". Desde então, passou para domínio público.
Nós cantamos uma versão adaptada para a liturgia da missa de Natal, entretanto, uma outra versão,
por ser tão utilizada pela mídia e pelas lojas para criar um clima "natalino" (diga-se de passagem "compre mais"), faz com que a gente nem se toque com ela.
Vendo e ouvindo o vídeo que se segue, foi impossível não ficar emocionada e pensar como o simples toca fundo e como Deus ama mesmo o mais pobre e humilde.
Acho que palavras serão incapazes de contar o que o coração sente.
Deliciem-se!


sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Total comunhão

As duas últimas semanas foram de grandes encontros e belas experiências.
Primeiramente a experiência de cantar em uma cerimônia de adeus a uma garotinha de dez anos, que partiu de repente. Situação delicadíssima, na qual ficaram patentes o grande amor de cada um que pôde comparecer para cantar e tocar... Amor ao próximo, superação de sofrimentos pessoais, entrega total àquele momento. Embargados pela grande emoção, penso que conseguimos ser amor para quem nos chamou, mesmo que não tivéssemos pleno domínio das próprias vozes.

Na quinta-feira passada (8/12), fomos surpreendidos, eu e o João, pelo empenho de nossos filhos e de vocês em comemorar nosso aniversário de casamento. Surpresa belíssima e comovente, pois como não é de praxe uma comemoração festiva de 32 anos de casamento, ficamos intensamente tocados com a delicadeza de todos em transformar uma data, que é tão significativa para nós, em uma grande confraternização, cheia de detalhes e mimos. Para nós, tudo foi expressão imensa de carinho e aconchego, que agradecemos de todo coração e com toda a alma. Obrigada, meus lindos.

No sábado (10/12), nossa festa de confraternização coroou com muita alegria as nossas vivências deste ano. Brincamos, rimos, "roubamos" presentes (até o padre!!!), nos deliciamos com uma comidinha caseira e muito bem feita. E comemoramos os aniversários do mês, cantando nossa "bênção" aos aniversariantes. Enfim, um dia de muita folia! Mais legal ainda, foi ver algumas pessoas se mobilizando, durante esta semana, para devolver os presentes "roubados". Nossa, isso é de me encher de ternura...

E ontem, uma vez mais em festa, comemoramos os cinco anos de ordenação do padre Giuliano...  Fazer o pps que o homenageou me deu oportunidade de, olhando todas aquelas fotos, refletir imensamente como é lindo o chamado que Deus faz a cada um. Um chamado a vir-a-ser...
E como foi bonito ver aquele bebezinho tão lindo, que bem poderia ser nosso filho, caminhando para atender a voz do Senhor. E não estou falando somente em atender a vocação de ser padre, mas em atender ao chamado fundamental, que cada um de nós também tem, que é ir se construindo como pessoa, daquela maneira que Deus pensou e chamou à vida... Menino novo, que me parece extremamente tímido, deu espaço a uma grande espiritualidade. Vejo que tem um enorme respeito e amor às pessoas pelo cuidado com que lida e trata a todos. Nós realmente temos um grande privilégio de ter o Pe. Giuliano conosco e podemos junto com ele ir construindo uma comunidade melhor e maior. Parabéns Pe. Giuliano! Que Deus o conserve nessa pureza de alma e no amor ao Senhor, ao próximo e às coisas da Igreja.

A música que se segue fala do Amor-Comunhão de Deus. Ela fala por si mesma.
Gravamos em casa, com o Xico ao violão. Embora as condições de gravação não tenham sido favoráveis e sim, nós podemos cantar melhor do que isso, foi o que pudemos fazer naquele dia. Vale pela bela mensagem e por nosso empenho.





493- Total Comunhão (Com.)

Teu amor vai além da medida,
se a medida é o meu próprio pensar.
O teu sonho é partilha e convida
todo ser a saber partilhar.

Teu amor é de Pai e de filho,
sem limite, é de eterno vigor,
é de Espírito Santo teu brilho,
é total Comunhão teu Amor!

Teu Amor vai além da medida,
se a medida é o que posso fazer.
O universo confirma que a vida
é o sublime destino do ser.

Teu amor é de Pai e de filho,
sem limite, é de eterno vigor,
é de Espírito Santo teu brilho,
é total Comunhão teu Amor!

Teu Amor vai além da medida,
se a medida é o que posso dizer.
Minha voz é tão frágil, partida,
só tua voz é que ensina a viver.

Teu Amor vai além da medida,
se a medida é o que sei merecer.
Meu sustento, razão, minha lida
só tuas mãos é que podem manter.

Teu Amor vai além da medida,
se a medida é meu próprio querer.
Quero a paz nesta terra sofrida
e tu queres o céu estender

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Confraternização 2011

No dia 10 tivemos a nossa comemoração de final de ano, numa noite superdivertida. Comida boa, do Sr. José da Aurora, gente animada, muita brincadeira e comemoração dos aniversários do mês, com direito a bolo-surpresa da Fátima para o Lúcio.
Noite nota dez.
As fotos vocês podem apreciar logo abaixo.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Viva Santa Luzia!

Hoje é dia de Santa Luzia e sempre me lembro que é o dia do aniversário da Luzia (e agora veio somar-se à lembrança o Lúcio, que há pouco está entre nós). Mas, inevitavelmente, me lembro muito do Mário também, pela experiência que tivemos um dia em que cantávamos lá na Igreja São Judas. Que dia era não tenho lembrança, mas devia ser comemoração de algo especial. Estávamos cantando e ele saiu de repente, indo para a sacristia, com a mão em um olho. Terminada a música, fui atrás para saber o que acontecia. Ele estava assustado e me disse que tudo estava escuro naquele olho, que não enxergava com ele. Lembro-me de pedir a alguém para levá-lo para a Beneficência, onde funcionava o Hospital de Olhos... Se a memória não estiver ruim, foi o Cortez que o acudiu.
O diagnóstico não foi menos assustador e ele deveria passar por cirurgia, pois havia tido descolamento de retina. Um bom tempo se passou para que tudo voltasse à normalidade para nosso compaheiro de canto e, nesse meio tempo, veio uma "promessa" interna - minha, dele e da Adair - de que iríamos cantar na Paróquia Santa Luzia, para agradecer.
Passado muito tempo isso aconteceu, quando fomos convidados a cantar na missa de Dedicação da Igreja Santa Luzia, numa grande solenidade, o ano passado. Finalmente, o empenho feito se concretizava... A Luci não pôde estar e nesta ocasião o Richard veio se somar, novamente, a nós. Cantamos bonito, lembram-se?
A seguir, disponibilizo a música Santa Luzia (Santa Lucia),  na voz de Andrea Bocelli, para recordarmos o que cantamos aquele dia. Se alguém quiser ver uma solenidade emocionante (tem quase uma hora de duração) das comemorações do dia de Santa Luzia, na Suécia, entre aqui.
Abaixo, um texto maravilhoso do Pe. Fábio de Melo, sobre o olhar - o nosso olhar, o olhar que precisamos buscar e ter a respeito dos outros e de nós mesmos.





Olhe demoradamente para si... 

Pe.FábiodeMello - 17/09/2007


Esperanças costumam nascer das derrotas.
É a resposta da vida quando o silêncio parece prevalecer sobre suas falas.  

Eu gosto de ouvir as vozes dos acontecimentos.  

O desafio é calar minhas perguntas desnecessárias. Enquanto pergunto eu perco o poder de ouvir. Minha voz e suas interrogações não me permitem perceber a resposta que está alojada no interior do acontecimento.
Perseguir o silêncio é o mesmo que perseguir a sabedoria. Os sábios falam menos e escutam mais. Eles não se apressam em dar nomes às realidades. Eles demoram os olhos na realidade e sabem aprecia-la sem pressa. Olhar devagar é um dom que desejo possuir.
O olhar apressado é a matriz de todo preconceito. Acho que vi, mas não vi. E o pior, digo que vi, sem ter visto.
Jesus só olhou o mundo sem pressa. E por isso Ele era capaz de ver o que ninguém via. Olhou Madalena e não viu a prostituta que todos viram. Viu a mulher, viu o ser humano que precisava ser resgatado dos olhares apressados que a condenavam.
Olhou Pedro e não viu somente o pescador. Viu o homem que poderia vir a ser. Viu a eloqüência das palavras aprisionadas em seu "não saber dizer". Viu o profeta escondido detrás da timidez e do medo. Ultrapassou os excessos da vida errante e enxergou o santo que ali estava adormecido.
Eu não sei como anda o seu olhar sobre si mesmo. Não sou conhecedor da pressa ou da calma do seu olhar. Uma só coisa eu sei, e sobre isso quero lhe dizer. Há em você um universo de verdades a ser descoberto. Há uma humanidade linda que ainda precisa passar pelo processo do florescimento.
Não sabe por onde começar? Eu lhe dou uma dica. Comece a prestar atenção no jeito como você se enxerga, no jeito como você se trata, no jeito como você se interpreta. Não aloje em seu coração sentimentos que sejam contrários à sua felicidade. Não deixe demorar dentro de você o que na vida não valeu à pena. Expulse de sua mente tudo o que for contrário ao que Deus espera de você.
Cultive esta certeza: o olhar de Jesus já lhe atingiu! Ele confia profundamente em tudo o que você ainda pode ser. Não se prenda aos seus fracassos. Eles não são nada perto de tudo o que Deus preparou para o seu futuro. Derrotas podem ser fontes de esperanças... Veja o avesso de suas inseguranças. Há uma coragem que você precisa enxergar. Ela é necessária como o pão de cada dia.

         Hoje é dia de olhares demorados...
        Veja em você o que Jesus já viu. Lance sobre você um olhar amoroso. É disso que você está necessitando.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Guadalupe e tantas lembranças...

Dia 12 de dezembro sempre me faz lembrar, além do aniversário do Seo Acyr, querido amigo, de outros dois padres igualmente queridos. Um deles empresta sua voz para louvar Nossa Senhora, no áudio postado abaixo, o tão amado amigo, Pe. Jesus.
A outra lembrança vem do Pe. Waldemir, que tão precocemente nos deixou, com tão pouco tempo de ordenação sacerdotal. Lembro-me dele como alguém muito doce, amoroso e dedicado às coisas da Igreja. Gostava, como o Pe. Jesus, de Parapsicologia. Foi seminarista vinculado à nossa paróquia e nós cantamos em sua ordenação diaconal. Depois veio a ordenação presbiteral, no dia 12 de Dezembro, dia de Nossa Senhora de Guadalupe, da qual era devoto.
Tivemos a ideia de presenteá-lo com um panô com a imagem de Maria de Guadalupe, lembram-se?
Compramos talagarça, riscamos a imagem nela e com lä de várias cores, nos reuníamos lá na Neide, para bordar. Não fizemos arraiolo, nem ponto cruz, o ponto foi simples, mas o resultado foi lindo! Ao final de uns dez dias nosso esforço foi recompensado e conseguimos terminar.
O panô foi usado como tapete na ordenação, onde o Waldemir se prostrou durante a ladainha que cantamos a plenos pulmões.
Ordenado, o Pe. Waldemir foi empossado na Igreja Beato Anchieta, então, em seus primeiros passos. Por um bom tempo colaboramos com o término de sua construção e a mobilização que fizemos, com a venda de cachorro-quente, permitiu doar todo o forro da igreja.
Lembram-se também, que fomos nós a levarmos o Hino do Beato Anchieta para ensinar ao povo de lá?
O Pe. Waldemir me entregou a letra que havia escrito e pediu se eu poderia musicar. Como essa não é minha vocação, pedi socorro ao Richard, que se valeu de seu primo João. Ele compôs uma melodia linda e aprendemos com alegria para ir cantar lá a primeira vez.

Saudades...

Um dia desses vamos tentar gravar o Hino para postar aqui.
Curtam a música "Mãe do Céu Morena", na voz do Pe. Jesus.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...