quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Discos, riscos, cachepôs e modelagem - deixar Deus agir em nós

   Recebi esta figura em um email e fiquei "vidrada" nela. Primeiro, porque fiquei imaginando se as gerações atuais sabem o que é isso - e me vi um tanto quanto "experiente" (porque não sou antiga nem velha rsss). Depois, fiquei relembrando como era ruim, quando a gente colocava um disco na vitrola e ele estava riscado: o braço do aparelho, de tão leve, não conseguia tirar a agulha daquela trilha e ela ficava lá, no mesmo lugar, tocando e tocando, repetidas vezes, a mesma música, que ia ficando chata, insuportável, especialmente para quem estava ansiando ouvir tocar a música inteira - normalmente uma música que a gente amava de paixão, pelo que gerava de sentimentos bons ou recordava momentos memoráveis...
    Credo! Uma música tão linda, às vezes ficava horrenda! E a gente, com muito desgosto, por não ter outra alternativa, a não ser se desfazer do disco, acabava colocando-o lá no fim da pilha, para não pegá-lo mais -  ou, para não ter que jogar no lixo, fazia um cachepô dele, aquecendo-o e moldando para formar uma cestinha.
    Reminicências de quem nasceu no século passado...
    Bom, não só...

    Buscando uma música para postar, acabei por associar o "Deixa-te modelar" com a figura que recebi. Fiquei pensando nas inúmeras vezes em que a gente se comporta feito um disco riscado, ensimesmados e teimosamente querendo que só o nosso jeito de ser ou de pensar esteja certo e tocando uma "música" que machuca e desagrada a quem está em volta, afastando ao invés de congregar...
    Como é fácil a gente se acomodar no "eu sou assim mesmo, quem quiser que me aceite", como se gente fosse um muro de concreto inabalável, que nada pode mudar a não ser implodindo ou derrubando.
    Como é desgastante para quem convive conosco, ouvir e ouvir sempre as mesmas coisas, ter que "engolir" o nosso jeito sempre igual de ver o mundo, sem deixar que a Vida nos transforme o olhar, sem permitir espaço para que Deus e o outro seja em nós...
    Manter tudo na gente sempre do mesmo jeito, sem deixar ar puro entrar, é como permitir que a própria alma vá se cristalizando e consentir que o nosso "disco" vá se riscando. E aí, é correr o risco de que a intolerância, que vai nos dominando, se torne maior do que a gente mesmo, turve a nossa visão, endureça o nosso coração...
    A vida precisa ser mais leve e os anos a mais, se bem cuidados no espírito, devem nos dar sabedoria, esperança e, fundamentalmente, confiança. Enfraquecer no vigor físico, mas crescer no vigor do espírito...
   Fiquei pensando no destino final dos discos riscados...
   Por muito amor: cachepô, quando muito, o fim da pilha.
   Sem muito apreço: o lixo.

   O "braço" da vitrola sustenta a agulha e nada pode fazer, por sua leveza, a não ser respeitar a trilha em que a agulha corre. O braço da vitrola não pode impedir que a música desagradável se repita. Mas leva junto a agulha, quando uma "mão salvadora" o levanta e recoloca na origem.
   Deus sustenta a nossa vida e, pelo seu grande Amor, respeita nossas escolhas de vida e está junto mesmo quando nos deixamos ser disco riscado. A "mão que retira a agulha do risco" só pode, mesmo, ser a nossa força de vontade, em querermos tocar uma música diferente e voltarmos à origem, ao que Deus pensou para nós em plenitude, como ser-no-mundo. O braço que levanta a agulha e a leva de volta a sua origem só pode funcionar por Graça, que devemos pedir ao Senhor da vida.
   Desejo então, se não puder tocar um linda música, por Graça, que Deus me aqueça e molde e faça de mim um cachepô - pelo menos assim eu poderei ser suporte para lindas e belas plantinhas.
   E que eu possa viver como Ele quer, sem medo!

Marly
(Ps. Vale muito a pena adquirir o CD Solidão Sonora, do qual esta música faz parte. Lindíssimo e de uma enoooooorme espiritualidade; músicas que elevam a alma e nos fazem refletir em profundidade sobre o amor de Deus e sobre quanto somos amados)




Deixa-te modelar!... Tu não sabes o que Deus fará de ti!...
Dá-lhe teu coração, e permite que Ele assuma a direção!
Deixa-te trabalhar: maravilhas há de o Pai realizar!
Ele só quer teu bem, o que te convém!

Nas mãos do Pai estarás livre, seguro, em paz!
Não tenhas medo: Ele é teu Segredo! Deus, ninguém mais!

Deixa-te despojar: Teu vazio se encherá da Sua luz!
Sem nada em ti reter, ao Senhor entrega inteiro o teu ser!
Deixa-te libertar e nas asas do amor tu voarás...
Deus cuidará do que é Seu: Ele te escolheu!

Deixa-te conduzir
e o Espírito de Deus te levará por céu e mar sem fim,
se lhe deres todo o espaço e fores Sim!
Deixa-te possuir pelo amor, que arder fará teu coração:
quem tua vida assim quis, Te fará feliz!

2 comentários:

  1. Marly querida,

    de algum jeito você nos lembra a música que somos e que, cantando juntos, nossa música é mais linda ainda!

    Gracias,
    Claudia

    ResponderExcluir
  2. Marly
    Adorei o seu texto, que reflexão maravilhosa... cada dia fico mais encantada com o seu crescimento espiritual. Saiba que é muito gratificante ter você como irmã de equipe (que pena que não é de sangue), amiga e comadre. Muitas e muitas bençãos de Deus para você, um grande beijo.

    Isabel

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...